Menu
Pontos

Nunca se cansa de ver tendências de empratamento? Juntámos um conjunto de estilos de empratamento que gostamos, alguns clássicos, outros mais na moda no último ano ou dois.
1. Técnica Paisagem

1. Técnica Paisagem

Tirar inspiração de paisagens. Este empratamento é geralmente plano e alongado. 

3. Técnica Materiais Orgânicos

3. Técnica Materiais Orgânicos

Utilizar materiais mais orgânicos tais como madeira, ardósia e pedra como meio de suporte à comida oferece um aspeto mais rústico e de regresso às origens ao prato.

5. Técnica Estilo Nórdico

5. Técnica Estilo Nórdico

Fazer fitas ou pedaços de vegetais e espalhar ervas num prato como apontamento para um efeito de empratamento aparentemente sem esforço.  ‘Gone Fishing’, do Chef e Food Stylist Dinamarquês Mikkel Karstadt, é uma boa inspiração; siga-o no Instagram. 

7. Técnica do Banho

7. Técnica do Banho

Mergulhe o peixe num caldo ou molho. Por exemplo, estes tortellini com molho de marisco ou vieiras com chicória, espuma de trufa, queijo de cabra e gambas. 

2. Técnica Free-form

2. Técnica Free-form

Como inúmeras pinturas modernas, o empratamento Free-from pode parecer muito espalhado e pouco cuidado a atravessar o prato mas cada derrame e posicionamento dos elementos é cuidadosamente pensado de forma a criar uma "pintura" abstrata e que causa alguma intrigação no prato. 

4. Técnica Futurista

4. Técnica Futurista

Tirar proveito de materiais lustrosos como o metal, vidro ou aço para criar um efeito mais futurista no empratameto.

6. Técnica das Escondidas

6. Técnica das Escondidas

As camadas oferecem um elemento de diversão e surpresa ao prato. Pense no efeito de um arroz tufado a tapar uma carne suculenta de caranguejo, uns rabanetes finamente cortados a esconder um saboroso tártaro de Robalo... 

8. Técnica Super Bowl

8. Técnica Super Bowl

Colocar uma taça com comida é uma grande tendência do momento com livros de cozinha e restaurantes a fazê-lo todos os dias.

Tente criar uma bowl elegante; usada para pratos mais pequenos como entradas ou sobremesas.

ENCONTRAR O PRATO CERTO

O prato escolhido pode fazer toda a diferença, diz o Chef Sul Africano Jack Coetzee. Deverá evitar simetria no prato uma vez que torna a sua apresentação pouco interessante e é necessário criar altura. No entanto, se quer mesmo evidenciar uma clara simetria, pode fazê-lo uma vez que é a sua intenção e pode nesse caso funcionar. O empratamento poderá ficar pouco diferenciado se tentar criar algo e o mesmo acaba por ficar simétrico. Poderá acompanhar o nosso curso da Academia UFS para mais explicações visuais de empratamento.

Aqui pode encontrar as principais conclusões no tipo de pratos a utilizar.

Prato retângular ou alongado

Prato retângular ou alongado

Usar um prato retângular é eficaz se tiver inúmeros pequenos elementos que podem voar ao longo do comprimento do prato, dando o efeito de um jardim.

Prato quadrado

Prato quadrado

Esta não é a forma mais fácil de se trabalhar. Deverá utilizar a regra dos terços: uma teoria que dita como a imagem (neste caso o prato) deve ser composta, de forma a criar um empratamento bonito e elegante. O prato deve ser dividido como uma grelha, em 9 blocos, e deve-se tentar evitar o centro, chamado o ângulo morto. Será bom evitar também preencher os cantos.

Prato redondo

Prato redondo

Este é o formato mais comum. A mesma regra da grelha aplica-se aqui, com exceção dos cantos. Tente não colocar nada ao centro a não ser que seja propositadamente.