Courgette

Courgette

Dica do Chef 1: Antes de fritar em tempura, salgue a courgette e deixe “transpirar” o excesso de água.

Dica do Chef 2: Corte a courgette em quartos e depois em pequenos pedaços. De seguida leve a saltear diretamente num sauté quente e com gordura a fim de ficar caramelizado por fora e cozinhado por dentro.

Escolher bem: As mais comuns são as compridas e verdes, mas há variedades mais pequenas, quase redondas. Escolha frutos rijos e de casca brilhantes, sem sinais de alteração. As mais pequenas são as mais tenras.

Dicas de conservação:

No frigorífico: na parte menos fria, pode durar até 5 dias.

Curiosidades:

Chegando a ser uma variedade de abóbora, a courgette faz parte da cozinha mediterrânica.

Leve e pouco calórica (30cal por 100gr), de forma alongada e de polpa rija a courgette só se distingue das suas variedades pela casca, umas mais verdes, outras mais cinzentas, no entanto, na maior parte dos casos a casca não se tira para a sua confeção.

Laminadas, em cubos, com ou sem pevides, em juliana, salteadas, estufadas, fritas em tempura, sopa ou mesmo cozidas ao vapor, as courgettes são um vegetal muito versátil.

São um ótimo substituto da batata.

Framboesas

Framboesas

Dica do Chef: Caso esteja com uma quantidade no frio e repare que não vá gastar, congele em puré pois inteiras ficam muito moles depois de descongeladas.

Escolher bem: O fruto vermelho torna-se quase preto quando maduro. É um fruto que deve apenas comprar caso a embalagem esteja bem acondicionada e protegida das agressões exteriores.

Dicas de Conservação:

É uma fruta frágil, que não se deve lavar e que se conserva muito mal.

No frigorífico: as framboesas têm a durabilidade de 2 dias.

No Congelador: reserve-as no congelador apenas se as for usar para molhos, purés, tartes, doces e gelados.

Curiosidades:

Das silvas bravas da mata da montanha para o prato. A sua cultura remonta à Idade Média, mas foi melhorada no séc. XVIII e só se desenvolveu no séc. XX.

Também cultivada em estufas, a framboesa é um fruto vermelho, doce, um pouco ácido e muito perfumado. Deve comer-se bem maduro e cheirando bem.

Pouco energética (40cal por 100gr), é rica em cálcio, ferro, fósforo e em vitaminas.

Fruta de sobremesa por excelência, a framboesa come-se ao natural, com açúcar ou natas, em tartes ou doces de colher, compotas, xaropes ou coulis, para decorar ou ainda para gelados.

Melancia

Melancia

Dica do Chef: Quando comprar melancia, a mesma deve ser pesada e não soar a oco.

Escolher bem: Na hora de escolher deve ter em atenção que a melancia deve ser simétrica e uniforme e com uma superfície cerosa, sem fendas, cicatrizes, ou outros defeitos. Quando cortada deve ter polpa firme, crocante e cor brilhante.

Dicas de conservação:

À temperatura ambiente: num local fresco e escuro, entre 7 a 10 dias.

No frigorífico: dura até 2 dias depois de aberta.

Curiosidades: 

Grande fruto esférico, pele verde-escura, pesando 3 a 5Kg e com polpa vermelha e doce com sementes pretas, a melancia é muito rica em àgua (92%) e pouco nutritiva (30cal por 100gr).

Maioritariamente servida ao natural e em fatias, a melancia (polpa) também é ótima para fazer sumos, gelatinas e dá um excelente toque refrescante a saladas sejam elas de frutas ou mesmo salgadas com queijo fresco, alface e crutons de pão.

Pimento

Pimento

Dica do Chef: Depois de assar os pimentos, coloque numa tigela e tape a fim de os deixar suar bem. Posto isto a pele vai sair com maior facilidade.

Escolher bem: Opte por pimentos rijos, brilhantes, e sem manchas.

Dicas de Conservação:

No frigorífico: duram 8 dias, num saco de plástico perfurado e na parte menos fria.

Curiosidades:

Descoberto na América por Cristovão Colombo, rapidamente o seu cultivo foi-se espalhando sendo mesmo utilizado na culinário por todo o mundo.

Com diferentes cores sendo as mais conhecidas o verde, amarelo e o vermelho, o pimento tem pouco valor calórico (22cal por 100gr) mas é rico em Vitamina C.

Os pimentos devem ser brilhantes, utilizam-se sem sementes e por vezes sem pele.

Recheados ou em recheios, assados ou grelhados, estufados ou a enriquecer um refogado, crus ou em sopas, os pimentos conquistaram a gastronomia mundial com o seu sabor, textura e côr.